Numa Manhã de Nevoeiro

Quarta a sábado, às 21:00

A ideia da criação de um Quinto Império, resgatador da alma portuguesa e inspirador de um desígnio divino universalista com epicentro em Portugal, não é original do Padre Vieira. Desde a primeira metade do século XVI, que se acreditava piamente no regresso do Encoberto, que viria cumprir esse desígnio glorioso que Deus outorgara a Portugal. Uma crença coletiva, inicialmente sebastianista, que tendo como base as "Trovas" de Gonçalo Annes Bandarra permaneceu no imaginário coletivo ressurgindo em Fernando Pessoa na "Mensagem", e em Agostinho da Silva, de um sentir português muito próprio, capaz de abrir novos mundos ao mundo. Se há uma “alma” portuguesa, identitária é no diálogo entre estes autores que a podemos reencontrar.

Segundo “Trovas de Bandarra”, de Gonçalo Annes Bandarra, o  “Sermão dos Bons Anos”, de Padre António Vieira; a “Mensagem”, Fernando Pessoa e “Um Fernando Pessoa”, de Agostinho da Silva.

Cia. João Garcia Miguel

#Teatro
{ Ver mais }
Texto, Direção e Espaço cénico
João Garcia Miguel
Intérpretes
Miguel Moreira, Sara Ribeiro, Hugo Marmelada
Música
Rafael Zink
Figurina
Rute Osório de Castro
Direção Técnica
Roger Madureira
Produção
Daniela Ambrósio
Produção e Vendas
Cássia Andrade
Assessoria de Imprensa
Mockingbird
Redes Sociais
Alexandre Pereira
Fotografia
Mário Rainha Campos
Apoio Financeiro Companhia JGM
DGARTES, do Ministério da Cultura e do Governo de Portugal
Coprodução
Teatro Municipal Baltazar Dias | Teatro Aveirense | Teatro Ibérico | Teatro-Cine de
Torres Vedras | Teatro Municipal da Guarda | Teatro Municipal de Ourém
Classificação
M/12